Home / Cananéia / Festa do Fandango Caiçara de Cananéia
Festa do Fandango Caiçara de Cananéia

Festa do Fandango Caiçara de Cananéia

O Ponto de Cultura Caiçaras através do Projeto “Ô de Casa: Mobilização, Articulação e Salvaguarda do Fandango Caiçara” e apoio da Prefeitura Municipal da Estância de Cananéia, realizará entre os dias 12 e 15 de outubro a 2ª Festa do Fandango Caiçara de Cananéia, que tem o intuito de apoiar, incentivar, fomentar e difundir elementos do Fandango Caiçara, promovendo a rica expressividade histórica, social e artística dessa tradicional cultura popular brasileira. “É muito importante valorizar esse patrimônio imaterial, é um bem inestimável não só para a nossa cidade, mas para todo o Brasil” comentou o prefeito Gabriel Rosa.

O evento contará com a participação dos grupos de Cananeia: Grupo de Fandango Esperança, Grupo de Fandango Batido São Gonçalo, Grupo de Fandango Vida Feliz, Grupo de Fandango Família Neves, Irmãos Pereira, Família Alves e Grupo Violas de Ouro do São Paulo Bagre.

Contaremos ainda, com as participações especiais de grupos de Fandango Caiçara das cidades de Iguape (SP), Ubatuba (SP), Paranaguá (PR), Guaraqueçaba (PR) e Paraty (RJ). Ao todo, serão quatro dias de intensas vivências, rodas de conversa e muitas outras atividades, aliadas à arte, educação e a rica cultura caiçara.

Mais informações: www.facebook.com/events/131686190807467/

https://www.facebook.com/pontodeculturacaicaras/

Confirma a programação completa:

12/10 – QUINTA-FEIRA

Local: Praça Theodolina Gomes (Tiduca) – Rua do Artesão s/nº
Programação especial do “Dia das Crianças”
10h00 – Feira de Troca de Brinquedos (atividade c/ educadoras do Quintal Caiçara)
14h00 – Oficinas, jogos e brincadeiras (atividades c/ educadoras/es do Grupo Cultural Tiduca)
Local: Praça Theodolina Gomes (Tiduca) – Rua do Artesão s/nº
19h00 – Abertura da “Feira Caiçara”
20h00 – Conferência de abertura: A importância da salvaguarda do Fandango Caiçara – Profa. Patrícia Martins – (Instituto Federal do Paraná/IFPR)
21h00 – Lançamento dos produtos sociais do projeto “Ponto de Memória Caiçaras”
22h00 – Baile de Fandango Caiçara

13/10 – SEXTA-FEIRA

Local: Casa Caiçara – Praça Martim Afonso de Souza s/nº
9h00 – Abertura das exposições “Ô de Casa” & “Lembranças de um fandango caiçara”
10h00 ás 18h00 – Encontro de memória e salvaguarda do Fandango Caiçara
Local: Praça Theodolina Gomes (Tiduca) – Rua do Artesão s/nº
19h00 – Mostra de vídeos: Fandango e cultura caiçara
20h00 – Roda de prosa: Território, Patrimônio e Direitos Caiçaras (presença de fandangueiros/as, pesquisadoras/es, Representantes de órgãos governamentais e de autoridades governamentais locais)
22h00 – Baile de Fandango Caiçara

14/10 – SÁBADO

Local: Casa de Mestre Agostinho
10h00 – Vivência: visita monitorada a Casa do Mestre Agostinho Gomes
Local: Casa Caiçara – Praça Martim Afonso de Souza s/nº
14h00 – Vivência: Toques e ritmos do fandango caiçara com Mestre Zé Pereira
Local: Praça Theodolina Gomes (Tiduca) – Rua do Artesão s/nº
19h00 – Mostra de vídeos: Fandango e cultura caiçara
20h00 – Roda de prosa: “Não conheceee?” – Conversa sobre as histórias, poesias e letras musicais do Fandango Caiçara
22h00 – Baile de Fandango Caiçara

15/10 – DOMINGO

Visita a comunidades e atrativos naturais (turismo comunitário c/ pré-agendamento)

O Fandango Caiçara

O fandango, manifestação cultural ligada ao¬ modo de vida caiçara, tradicionalmente, acontecia como pagamento oferecido por mutirão (ou pixirão) de plantio, colheita ou puxada de barco. O beneficiado pelo trabalho coletivo oferecia farta comida e um baile que atravessava a noite. Atualmente o fandango acontece sob as diferentes formas de festa comunitária, baile público, apresentação artística ou em recriações por grupos mirins. Seu ambiente cultural envolve também a produção de instrumentos, a organização de mutirões e trabalhos de pesquisa e afirmação cultural das práticas caiçaras locais.

O reconhecimento do Fandango Caiçara como Patrimônio da Cultura Imaterial Brasileira, em 2012, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), consolida um processo que vêm desde 2006 se construindo em torno da salvaguarda deste bem cultural, prezando pelo diálogo com os atores e a manutenção da identidade caiçara, neste caso, sobretudo pelo viés de sua musicalidade.

Deixe uma resposta

Seu email nao sera publicado. Required fields are marked *

*

Scroll To Top